Página Inicial > Gastronomia, Lisboa > Receita deliciosa

Receita deliciosa

Resolvi pedir uma dica ao Google para preparar uma alheira que há tempos me aguardava e encontrei uma receita deliciosa.

Deliciosa antes mesmo de ser preparada (os grifos são meus):

Um amigo transmontano ensinou-me a melhor maneira de fazer as alheiras. Nada como as que comemos por aí em qualquer restaurante. A boa alheira requer tempo a ser cozinhada. Fura-se primeiro com uma agulha. Muitos furos, por onde há-de sair a gordura. Planta-se dentro de uma frigideira, sem qualquer gordura (a gordura que ela vai libertar é mais que suficiente) e a uma temperatura baixa. Se for numa placa eléctrica, numa escala de 1 a 5, ponha-se no dois. Este processo de fritura, dura pelo menos uma hora. Por isso, calminha, aproveite-se o tempo a beber uns copos e um queijinho de entrada.
Quando já houver uma certa gordura resultante da fritura, recolha-se para uma molheira – a alheira deve frigir sempre com o mínimo de gordura. Nem é preciso dizer que, a meio tempo, se volta. Neste processo, por vezes a alheira rebenta. Não é bonito, mas come-se na mesma.
Ao mesmo tempo cozem-se umas batatas com pele, e em panela separada uma genuina couve portuguesa e algum nabo.
No final, pela-se a batata que vai acompanhar com, com as restantes verduras, a alheira. A gordura que se foi retirando da sertã é a que serve para temperar a batata. Acompanha com um vinho do Douro encorpado.
Um prato divinal, se a alheira for de boa qualidade (as melhores que eu compro são as da charcutaria Manuel Tavares, fundada em 1860, sita entre a Praça da Figueira e o Rossio (ir à charcutaria Manuel Tavares é um acto de cultura e não só gastronómica..). A talhe de foice, diga-se que também lá compro os melhores figos secos (as passas). O figo preto de Torres – excelente – por 2 euros e meio o quilo. E ainda há quem pense que o barato se encontra nas grandes superfícies…

http://familiaantunes.wetpaint.com/page/Alheira

A minha não deu certo, a alheira meio que explodiu na frigideira, mas deu para curtir uma receita que pede para, depois d’eu plantar a alheira dentro da frigideira, calminha e sugere beber uns copos durante o preparo; que me fez descobrir

sertã

s. f.

Frigideira larga e de pouco fundo, de ferro ou de barro; e

vir a talhe de foice expressão

  1. vir a propósito.

; relembrar a Praça da Figueira e o Rossio; e ficar intrigado com qual barato pensam que se encontra ‘nas grandes superfícies…’ :)

Deliciosa.

Categories: Gastronomia, Lisboa
  1. Andrey
    24, julho, 2009 em 17:32 | #1

    Você sabia que a alheira foi inventada pelos judeus?
    “Foi inventado pelos judeus como artimanha para escaparem às malhas da Inquisição.
    Como a sua religião os impedia de comer carne de porco, eram facilmente identificáveis pelos seus perseguidores pelo facto de não fazerem nem fumarem os habituais enchidos de porco.
    Assim, substituiram a carne de porco por uma imensa variedade de carnes, que incluíam vitela, coelho, peru, pato galinha e por vezes perdiz, envolvidos por uma massa de pão que lhes conferia consistência.
    A receita acabaria por se popularizar entre os cristãos, mas estes juntavam-lhe a omnipresente carne de porco. “

  2. Sérgio
    24, julho, 2009 em 17:51 | #2

    Deu água na boca … e é pena que, quando estive em Lisboa, não conhecia a charcutaria Manuel Tavares … http://www.manueltavares.com/Chacutaria.htm

  1. Nenhum trackback ainda.