Página Inicial > Cotidiano, Economia, Sobre a vida > Capitalismo Esotérico

Capitalismo Esotérico

Não, aí já foi demais… depois do Capitalismo Selvagem, agora temos o Capitalismo Esotérico, nas palavras do podcast de ontem no Filosofia de Bem Viver, da Márcia De Luca, especialista (!) em yoga (!!) e ayurveda (!!!) da Rádio Eldorado.

O negócio é tão espantoso que me aluguei em transcrever – leia de preferência ouvindo uma música new age bem baixinho:

“Hábito de guardar dinheiro não é saudável; ouça as dicas da Márcia de Luca
A lei da prosperidade nos ensina que as coisas devem fluir natural e espontâneamente
(sic).

Quantas pessoas têm o hábito de guardar dinheiro? Guardar dinheiro com medo de que um dia falte em sua vida. O simples ato de guardar e guardar vai promovendo uma estagnação da energia. Ilusoriamente estas pessoas podem achar que estão enriquecendo, aparentemente até estão. Mas estão também truncando a lei da prosperidade que nos ensina que tudo deve fluir natural e espontaneamente, para que o movimento continue se perpetuando. Para ganhar é preciso gastar, mas gastar com critério e inteligência, comprando o que é necessário, investindo de maneira coerente, intensificando, desta maneira, a poderosa lei universal que diz que é dando que se recebe. Essa é mais uma dica da filosofia de bem viver. Juntos podemos fazer a diferença para um mundo melhor.”

Ou ouça o original aqui.

Ô Dona Márcia, guarda dinheiro quem tem dinheiro para guardar, pois a maioria dos mortais aqui tem medo de que um dia falte em nossa vida. E imagine o quão esotérico é para seu ouvinte que rala pra fazer o salário chegar ao fim do mês ficar satisfeito por não estar guardando nada, pois assim não está ‘promovendo uma estagnação da energia’?

Dona Márcia, é óbvio que o dinheito circular é necessário na economia, pois… mas chamar isso de ‘lei da prosperidade’ pois a grana deve ‘fluir natural e espontaneamente’… uau, quanto dinheiro pinga espontaneamente na sua conta??? Para ganharmos é preciso que alguém gaste, normalmente somos nós mesmos – aqueles mortais de que lhe falei, mas às vezes temos que guardar tudo o que conseguimos para conseguir realizar algum sonho – e olha, aí vamos gastar! – ou para nos prepararmos para uma adversidade ou para a quando o dinheiro parar de pingar espontaneamente – uau2, gostei dessa idéia de espontaneidade na economia. E, olha, na boa: ‘é dando que se recebe’ cabe melhor discutindo política do que economia, quanto mais esoterismo. Mas não se preocupe, eu habitualmente compro incensos e faço a grana circular para seus lados ;)

By the way, vou sugerir para o pessoal de Brasília te chamar para participar das reuniões do COPOM, se os incensos, o new age, e o pessoal reunido em posição de lótus não servir para baixar os juros, ao menos as atas vão ser bem mais interessantes :)

  1. Andrey
    11, dezembro, 2009 em 15:09 | #1

    Brilhante, Edu. Espero que a Dona Márcia leia seu texto e perceba que ela não sabe nada de economia!

  2. 11, dezembro, 2009 em 16:16 | #2

    @Andrey
    Ah, Andrey, ela não vai ler não. Nem ela nem o Meireles.
    Mas, mudando de assunto, é realmente peculiar esta nossa conversa através de comentários do blog! Você devia fazer um também (ou ressuscitar aquele velho, lembra?) para eu também poder iniciar os diálogos…

  3. 11, dezembro, 2009 em 16:46 | #3
  1. Nenhum trackback ainda.