Arquivo

Arquivo de 14, maio, 2009

Fernando Pessoa – Lisboa

14, maio, 2009 2 comentários

Finalmente ontem, no último dia, cheguei ao lugar onde o Pessoa nasceu
DSC_0078, ao Café A Brazileira, onde um gringo tomava uma cerveja com ele e não arredou pé do lugar DSC_0104, e ao túmulo no Mosteiro dos Jerónimos, onde tive que sair rápido pois foi invadido por uma horda de turistas que sequer falam português (depois voltei) DSC_0392 .

O túmulo fica em num corredor isolado do Mosteiro, com o mini-obelisco e 3 trechos de poemas a lhe prestar homenagem, e uma placa explicativa para os turistas (em português e inglês). Um tanto fora de contexto, ainda mais considerando que não vemos referências religiosas em sua obra – não conheço 100%, mas não lembro de uma sequer.
Não sei onde o túmulo ficava originalmente, mas acho que era em algum cemitério comum no centro de Lisboa, e lá devia ter ficado, na minha opinião (ah, o Panteão era brincadeira :) ).

E aqui chegou ao fim a visita a Lisboa, mesmo por que a bateria da minha câmara acabou logo em seguida. Nestes dias todos percorri a maior parte do roteiro de Lisboa que o Pessoa fez, o que me fez me enveredar por várias ladeiras e becos nos caminhos entre os sítios, sempre com a agradável companhia da lembrança de que estava andando por lugares que ele, o autor de diversas obras que admiro e do livro que eu estava seguindo, um dia caminhou.
Estou editando as fotos aos poucos, pois são muitas (e ainda faltou :( ), um dia as publico.

Também me acompanharam na aventura um exemplar do livro que ficou todo estropiado, uma mochila made-in-Portugal (a dona da loja falou isso toda orgulhosa!), e um boné que comprei para substituir o que o Tejo levou, mas que não está na foto pois o perdi justamente no Mosteiro :)

DSC_0464

Categories: Lisboa, Literatura, Turismo

Mosteiro dos Jerónimos – Lisboa

14, maio, 2009 Sem comentários

Pensando bem, é uma pena não ser religioso ao visitar Lisboa, aproveitaria muito mais :)

O Mosteiro também é outro lugar impressionante de beleza e antiguidade (estou sem a cola aqui, então fica sem história), cujo atual maior valor é o túmulo do Fernando Pessoa, que ficará em outra série de fotos.

Pena que tem tanto turista, pá!

Categories: Lisboa, Turismo

Convento do Carmo – Lisboa

14, maio, 2009 Sem comentários

Ou melhor, “Ruínas do Carmo”, antiga “Igreja do Convento de Nossa Senhora do Vencimento do Monte do, ufa, Carmo” (o ‘ufa’ é meu), fundado em 1389.
O edifício foi bastante destruído no terramoto de 1775, e D. Maria I tentou restaurar, mas o dinheiro não deu.
No século XIX instalou-se lá um museu com peças de antigos edifícios arruinados e outras de valor arqueológico.

Lindo, só vendo.

Categories: História, Lisboa, Turismo

Hay caracoles

14, maio, 2009 2 comentários

É isso aí, aqui em Cádiz também há caracóis. E, desculpem-me os portugueses, os daqui são melhores: mais temperados, com pimentões, cebola, e uma erva de cheiro que não identifiquei. Ficam mais saborosos, e são servidos em uma tijela*, o que os mantêm quente por mais tempo.

Depois jantei um “Gallo empanado”: gallo é um peixe bem saboroso e com a consistência parecida com nosso pescado, mas pouco mais encorpado. Servido com salada de repolho cru e um creme branco não identificado, bem leve. Acompanhou bem.
Perguntei pro Google sobre o gallo, para ver se tem por aí, mas parece que não: o mapa diz que o Lepidorhombus whiffiagonis só tem por aqui.

* no outro post sobre caracóis comentei que me servi do jeito errado, sem separar o prato sob o qual serviram os caracóis… pois é, deve ter sido alguma memória ancestral: aqui o prato sob a tijela onde os caracóis são servidos fica lá, e para ela vão as conchas vazias. Ninguém me ensinou, foi monkey-see-monkey-do com a mesa ao lado. Então fiz do jeito certo na 1a vez, o jeito da terra dos meus avós :)

Categories: Cádiz, Gastronomia, Turismo

Lisboa – Cádiz de trem

14, maio, 2009 6 comentários

Em Lisboa, na Estação Santa Apolônia, atrasou 1 segundo: saiu às 22:30:01.
Era um trem antigo, lento e apertado, e me faria bem saber contorcionismo para conseguir uma posição para dormir, mas valeu!

Depois um percurso de Madri a Sevilha, e outro de lá para Cádiz. Tudo certo, cá estou. A história completa abaixo.

Leia mais…

Categories: Cádiz, Lisboa, Turismo