Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Cinema’

Abraços partidos

9, dezembro, 2009 1 comentário
abracos De Tokyo para Madrid, com menos Madrid neste do que Tokyo naquele, já que o foco maior do Almodóvar está nos personagens.

Na minha crítica rala, um Almodóvar mais sóbrio, menos caricato, mas nem por isso menos intenso.

Voltando à minha defesa do cinema entretenimento, este filme transitou bem entre os extremos – fez-me rir e chorar, e ainda contém um que de desafio intelectual no mistério que surge na hora certa – mas não vou contar mais – e emocional, pois conseguiu me criar empatia com todos os personagens.

E com o plus a mais de Penélope Cruz perturbante de linda ;)

Muiiiiiiiiiiiiiiiiito bom!
Categories: Cinema

Tokyo

8, dezembro, 2009 4 comentários

Uau! Tri-puta filmes: três visões de Tokio potencializadas, em mim, por amar São Paulo; três diretores – dois franceses, um coreano- que acertaram a mão em três histórias realisticamente surreais: Interior Design, com um jovem casal tentando se estabelecer em Tokio; Merde, um homem-monstro que apavora a cidade, e onde a sequência inicial bem poderia ser filmada na Paulista; e Shaking Tokio, um hikikomori que tem perturbada sua paz por uma entregadora de pizza com botões, e alguns terremotos.

Três histórias, três cartazes:
tokyo1     tokyo_3     tokyo_2

No IMDb.

Três notas:
. em diversos momentos vi Sampa no filme, talvez uma Tokio sem ordem nem publicidade.
. dá pra ser um hikikomori por aqui também, só não vamos encontrar entregadoras – nunca recebi uma – e terremotos.
. tá, o dia foi chato com tanta chuva e consequências, mas caminhar pela Paulista molhada à noite, iluminada pelo brilho refletido do Natal e das luzes dos automóveis e das pessoas, mais seus sons e movimentos, me fez andar a 24/s e curtir cada passo como se estivesse numa película.

Sobre a sala: ok, o HSBC Belas Artes tem bebedouro, mas tem ar-condicionado no último volume, portanto não vá desagasalhado! Eu, pelo menos, passei o filme todo tiritando.

Categories: Cinema, Cotidiano, São Paulo

Bastardos Inglórios

23, outubro, 2009 2 comentários
As ações de empresas que produzem sangue artificial certamente sobem a cada anúncio de um novo projeto do Tarantino, mas arrisco recomendar este filme mesmo para quem é sensível a violência e cenas sangrentas, pois o diretor acertou bem a mão e quem quer se divertir pode ir sem medo.

Ouvi falar muito da sequência inicial: é realmente ótima, mas mais adiante outras tão boas quanto fazem valer cada centavo investido. E não é só da ação física que vem o divertimento, o filme é repleto de diálogos magistrais e tem uma fotografia de encher os olhos.

Também antes de assistir vi umas entrevistas onde o Tarantino teve que se explicar sobre as mudanças que promoveu na história da 2a Guerra. Bobagem. Cinema é entretenimento, e este é puro.
ib-cartazteaser-c

Ah, e como se não bastasse, ainda fui apresentado a duas ótimas, e lindas, atrizes européias, Mélanie Laurent melanie e Diane Kruger diane

Sobre a sala: foi um bom trabalho de restauração do Marabá do centro, gerido pela Playarte. Assisti na sala 4, confortável e com boas projeção e som, o único problema é o ar-condicionado barulhento.
Mas atenção: se for lá, leve seu bebedouro! Não há nenhum disponível para os frequentadores – perguntei para um funcionário se eles tinham que comprar a água também e ele me explicou que eles têm uma salinha com água para quem trabalha lá. Quase pedi pra ir…

Categories: Cinema

Last chance Harvey

27, julho, 2009 Sem comentários
Depois da experiência anterior nem a presença da dupla Dustin Hoffman/Emma Tompson me fez criar alguma expectativa, portanto dificilmente sairia decepcionado, e não saí: é um bom e despretensioso filme, entretenimento puro, simples, e bem feito.


Uma quase comédia romântica para maiores de 30, trata o encontro amoroso aproximando os personagens do mundo real, sem colocá-los em situações muito piegas ou clichês – só as inevitáveis. E contando com dois ótimos atores – difícil não comparar o Harvey com o garoto de “A primeira noite de um homem“.


Título em português do Brasil: “Tinha que ser você”; em Portugal, “A um passo do amor” – os dois ruins.

No IMDB.

Last

Nota sobre a sala: o Gemini continua sendo um cinema simpático, não muito confortável comparando com as salas mais modernas que só faltam ter massageador, mas grande e com a platéia bem inclinada, e você ainda ganha uma paçoca de brinde :) , mas a projeção está péssima: metade do filme foi com oscilações na iluminação, e depois que consertaram uma mariposa ficou no vidro da projeção fazendo sombra… bem, este último até que foi engraçado.

Categories: Cinema

Horas de Verão

20, julho, 2009 4 comentários
Muitas vezes um filme francês é uma obra de arte, mas outras… bem, às vezes um filme francês é um filme francês.

Como escolhi de improviso, confiando em que um filme com a Juliette Binoche não pode ser ruim, não li crítica alguma. Vou fazê-lo em seguida para ver com quem ando sintonizado.

Um filme sem conflitos, apenas ameaças, que se diluem natimortas numa continuidade imprevisível por frustrante, como se em vez de jogar uma pedra horizontalmente na superfície do lago, para vê-la quicar até afundar, optaram por jogar uma porção de areia, que se espalhou, difusa. Só acreditei que havia acabado por conta dos créditos.

Valendo algo, um filme leve. Demais.

horas

Horas de Verão – Olivier Assayas – 2008. No imdb.

Categories: Cinema

Garapa

15, junho, 2009 Sem comentários

Garapa – 2009

Não, garapa não é o caldo de cana que aqui em Sampa tomamos na feira, junto com o pastel, é uma mistura de água aquecida e açúcar que com que as mães alimentam seus filhos em alguns lugares do Brasil, o que o garoto aí ao lado está bebendo e o que o ajuda a enganar a fome.


Este documentário do José Padilha, o mesmo diretor de Tropa de Elite, acompanhou alguns dias de três famílias cearenses, duas do interior, uma da periferia de Fortaleza.  Fome em P&B, close de fome, sequências de fome.
garapa

O José Padilha conta em entrevista à Revista Brasileiros (que também merece uma leitura*) que após uma pré-estreia aqui em São Paulo foi abordado por um senhor transtornado e, nas palavras dele, levou um pito: “Eu não ou obrigado a ver este filme! Ainda bem que não tive que pagar ingresso. Quem é obrigado a ver este filme são os governantes, eu não tenho nada a ver com isso”.

Certo, não tem que assistir ao filme; errado, tem sim a ver com isso. Todos temos, quer queiramos ter e fazer ou não algo; quer não queiramos e nada fazer. O filme ajuda nos ajuda a decidir isso.

* na entrevista José Padilha destaca a existência de milhões de Brasileiros que sequer têm documentos de identificação, portanto não existem, não participam das estatísticas e ficam à margem de qualquer programa social. E muitos se espantam com o raquítico valor dos benefícios do Fome Zero e similares, mas, poxa, faz muita diferença para muita gente, infelizmente.

Aqui em São Paulo, em cartaz no Cine Bombril, e se o fime der lucro ele vai para as famílias documentadas – o que está difícil: é o único cinema com ele em cartaz, custa R$ 4,00, e somamos uns 8 na platéia.

Categories: Cinema, Cotidiano, Sobre a vida

O equilibrista

8, junho, 2009 Sem comentários
Man on Wire – 2008

Documentário vencedor do Oscar retrata a conquista do World Trade Center por Philippe Petit, equilibrista francês que em 1974 andou no cabo-bambo entre as duas torres por 45 minutos. O filme é bem editado e usa imagens de arquivo, algumas reconstituições, e muitos depoimentos dos amigos que o ajudaram.

Para um desequilibrado como eu, que não consegue se manter em pé num skate por mais de 5 segundos, o filme é literalmente vertiginoso ;) , mas além da vertigem o interessante é acompanhar a obsessão de Petit, que planejava a peripécia desde que leu sobre as torres bem antes de serem inauguradas.

o-equilibrista_poster

Ao fim e ao cabo, ao ser preso, a pergunta que Petit mais ouviu dos reporteres lá de NY foi “Why?”

Ainda em cartaz no Gemini, na Av. Paulista.

Nota: ufa, nenhuma imagem do triste fim das torres, o que achei que ocorreria a título de homenagem, mas que já cansei de ver.

Categories: Cinema

Paris, Texas

11, abril, 2009 Sem comentários

Partindo num Ford Ranchero…

No IMDb

Categories: Cinema